MERCADO: Alta na tabela de fretes trava negócios com soja no Brasil

Porto Alegre, 4 de junho de 2018 – O mercado brasileiro de soja teve um
dia travado e de preços mais baixos. A queda do dólar e a forte baixa de
Chicago afastaram os negociadores, que tentam ainda se ajustar à nova tabela de
fretes publicada pelo governo, que indicou aumento entre 20% e 30%.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos caiu de R$ 82,00 para R$ 81,00. Na
região das Missões, a cotação baixou de R$ 81,50 para R$ 80,50. No porto de
Rio Grande, as cotações recuaram de R$ 86,00 para R$ 85,00.

Em Cascavel, no Paraná, o preço baixou de R$ 80,00 para R$ 79,00 a saca.
No porto de Paranaguá (PR), a saca caiu de R$ 87,00 para R$ 86,00.

Em Rondonópolis (MT), a saca seguiu em R$ 74,50. Em Dourados(MS), a
cotação recuou de R$ 75,00 para R$ 73,00. Em Rio Verde (GO), a saca passou
de R$ 74,00 para R$ 73,00.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago
(CBOT) fecharam a segunda-feira com preços em baixa. A falta de acordo entre
China e Estados Unidos e o avanço do plantio nos Estados Unidos determinaram
as perdas.

Durante o final de semana, as conversas entre Estados Unidos e China pouco
avançaram. A trading estatal chinesa Cofco comprou cargas de soja em grão dos
Estados Unidos. Porém, com o aumento da tensão entre os dois países, novas
compras estão ameaçadas.

Porém, inesperadamente, o presidente Donald Trump endureceu sua posição
nesta semana, pedindo tarifas sobre US$ 50 bilhões em importações da China, a
menos que a questão de roubo de propriedade intelectual norte-americana seja
abordada.

As inspeções de exportação norte-americana de soja chegaram a 557.733
toneladas na semana encerrada no dia 31 de junho, conforme relatório semanal
divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Na semana anterior, as inspeções haviam atingido 579.245 toneladas. No
ano passado, em igual período, o total fora de 288.095 toneladas. No acumulado
do ano-safra, iniciado em 1 de setembro, as inspeções estão em 46.795.868
toneladas, contra 51.125.126 toneladas no acumulado do ano-safra anterior.

Os contratos da soja em grão com entrega em julho fecharam com baixa de
19,50 centavos de dólar (1,9%), a US$ 10,01 3/4 por bushel. A posição agosto
teve cotação de US$ 10,06 3/4 por bushel, perda de 19,25 centavos de dólar,
ou 1,87%.

Nos subprodutos, a posição julho do farelo caiu US$ 5,30 (1,41%), sendo
negociada a US$ 368,90 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em
julho fecharam a 30,93 centavos de dólar, perda de 0,26 centavo ou 0,83%.

Câmbio

O dólar comercial fechou a negociação com queda de 0,63%, cotado a R$
3,7420 para a compra e a R$ 3,7440 para a venda. Durante o dia, a moeda
norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 3,7270 e a máxima de R$ 3,7550.

Agenda de segunda

– O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga às 9h os
dados da Pesquisa Industrial Mensal – Produção Industrial referentes a abril.

– Desenvolvimento das lavouras do Paraná – Deral, início do dia.

Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS