Informações Confiáveis,
Negócios Rentáveis

Notícias

Videos

+

Nossos Produtos

NewsLetter

Mercado em Foco

MILHO: Chicago sobe antes do intervalo, avaliando clima quente nos EUA

 
    Porto Alegre, 6 de julho de 2020 - A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT)
para o milho está operando com preços em alta. O cereal busca suporte na 
previsão de tempo quente e seco em importantes áreas produtores do Meio Oeste 
dos Estados Unidos, conforme a Agência Reuters. As atenções agora estão 
voltadas para o relatório de condições das lavouras norte-americanas, que 
saem no final da tarde.
 
    A posição setembro opera com alta de 4,50 centavos, ou 1,31%, cotada a 
US$ 3,48 por bushel. A posição dezembro está cotada a US$ 3,58 por bushel, 
ganho de 4,50 centavos, ou 1,27%.
 
     Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS
 
Copyright 2020 - Grupo CMA
 
 

CLIMA: Meio-Oeste dos EUA deve ter chuvas isoladas até quarta-feira

 
    Porto Alegre, 6 de julho de 2020 - A região oeste do Meio-Oeste dos 
Estados Unidos deve ter períodos de chuvas isoladas até quarta-feira, com 
chuvas esparsas no norte. A previsão é da Meteorologix e foi divulgada há 
pouco pela agência Dow Jones. Chuvas esparsas no sul de quinta a sexta-feira. 
As temperaturas devem ficar acima do normal até sexta.
 
    No leste do Meio-Oeste norte-americano, chuvas isoladas até quinta-feira. 
Chuvas esparsas na sexta. As temperaturas devem ficar acima do normal até 
sexta-feira.
 
     Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS 
 
Copyright 2020 - Grupo CMA

TRIGO: Chicago sobe antes do intervalo com menores exportações da Rússia

 
    Porto Alegre, 6 de julho de 2020 - Os contratos futuros do trigo na Bolsa 
de Mercadorias de Chicago (CBOT) registravam preços mais altos antes do 
intervalo. Conforme a Agência Reuters, o mercado buscou suporte na notícia de 
que a Rússia pode reduzir as exportações de trigo em julho, devido ao início
mais lento da colheita no país. Porém, nos próximos meses, podem subir, 
quando não existirem mais cotas de exportação. As atenções agora estão 
voltadas para o relatório de condições das lavouras norte-americanas, que sai
 no final da tarde.
 
    No intervalo, contratos com entrega em setembro eram cotados a US$ 4,95 3/4
por bushel, alta de 3,75 centavos de dólar, ou 0,76%, em relação ao 
fechamento anterior. Os contratos com entrega em dezembro operavam a US$ 5,03 
1/4 por bushel, ganho de 3,50 centavos de dólar, ou 0,7%.
 
     Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS
 
Copyright 2020 - Grupo CMA

ECONOMIA:Ações da Europa sobem seguindo China, com otimismo por recuperação

 
    Porto Alegre, 6 de julho de 2020 - Os principais índices do mercado de 
ações europeu operam em alta, seguindo os ganhos na Ásia com os investidores 
otimistas sobre uma recuperação econômica depois dos impactos negativos da 
pandemia do novo coronavírus.
 
    "As ações da China continental e Hong Kong mostraram ganhos 
impressionantes. Houve um salto nos volumes de negociação na China, e os 
índices de ações europeus abriram em alta como resultado", de acordo com o 
analista do CMC Marktes, David Madden.
 
     As encomendas à indústria da Alemanha subiram 10,4% em maio na 
comparação com abril, quando haviam recuado 26,2%. Já as vendas no varejo dos
países que compõem a zona do euro subiram 17,8% em maio na comparação com o
 mês anterior, após a queda de 12,1% em abril.
 
    "É claro que as coisas estão melhorando do ponto de vista econômico, 
mas a situação da saúde pode ser uma história diferente", disse Madden, 
citando bloqueios locais em Leicester, Melbourne e também em partes da Espanha.
 
    Por sua vez, a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine 
Lagarde, alertou em um seminário pela internet no final de semana que os 
preços no bloco monetário podem permanecer pressionados pelos próximos dois 
anos, antes de sofrer uma reviravolta. 
 
    Confira abaixo a variação e a pontuação dos índices europeus por volta
 de 09h25 (horário de Brasília):
 
     FTSE-100 (Londres): +1,74%, 6.264,47 pontos 
     DAX-30 (Frankfurt): +1,66%, 12.736,04 pontos
     CAC-40 (Paris): +1,78%, 5,096.32 pontos
     FTSE MIB (Milão): +1,94%, 20.108,13 pontos
     IBEX-35 (Madri): +2,33%, 7.575,80 pontos
     SMI-20 (Zurique): +1,03%, 10.229,67 pontos
     PSI-20 (Lisboa): +1,28%, 4.461,38 pontos
 
     Com informações da Agência CMA.
 
     Revisão: Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS
 
Copyright 2020 - Grupo CMA
 

MONITOR CAFÉ: NY cai quase 5% e deve travar negócios no Brasil

 
    Porto Alegre, 6 de julho de 2020 - Os preços internos do café devem 
cair nas principais praças do país nessa segunda, acompanhando a queda de 
quase 5% dos contratos futuros na Bolsa de Nova York. Tendência de raros 
negócios, com o dólar recuando e a colheita avançando, fatos que completam o 
cenário negativo para a comercialização. 
 
    O mercado encerrou a sexta-feira com cotações estáveis. Sem pregão na 
Bolsa de Nova York (ICE Futures US), que não operou devido ao feriado nos 
Estados Unidos, e com o dólar volátil, não houve estímulo para alterações 
nos valores no Brasil. E o dia foi lento na comercialização.
 
    No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa ficou em R$ 
505,00/510,00 a saca, estável. No cerrado mineiro, preço de R$ 510,00/515,00, 
inalterado.
 
    Já o café arábica "rio" tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 
20% de catação, teve preço de R$ 380,00/385,00 a saca, estável. O conilon 
tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, teve preço de R$ 340,00/345,00 a saca, sem
 mudanças.
 
NOVA YORK
 
* Os contratos com entrega em setembro registram desvalorização de 0,15% na 
Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE), cotados a 97,80 centavos de dólar por 
libra-peso. 
 
* Não houve pregão na Bolsa de Nova York devido a feriado nos Estados Unidos.
 
 
CÂMBIO
 
* O dólar comercial registra baixa de 0,65% a R$ 5,287. 
 
INDICADORES FINANCEIROS
 
* As principais bolsas da Ásia fecharam em alta. Xangai, +5,71%. Tóquio, 
+1,89%.
 
* As principais bolsas na Europa operam em alta. Frankfurt, +1,66%; Londres, 
+1,77%. 
 
* O petróleo opera com ganhos moderados. Agosto do WTI em NY: US$ 40,66 o 
barril (+0,02%). 
 
* O Dollar Index registra baixa de 0,5%, a 96,69 pontos.
 
AGENDA
 
- Vendas, exportações e produção de máquinas agrícolas em junho - 
Anfavea, a partir das 10hs. 
 
- Inspeções de exportação semanal dos EUA - USDA, 12hs.
 
- Balança comercial da 1 semana de julho - Ministério da Economia, 15hs. 
 
- Condições das lavouras norte-americanas - USDA, 17hs. 
 
----Terça-feira (7/07)
 
- Alemanha: A produção industrial de maio será publicada às 3h pelo 
Ministério de Economia e Tecnologia.
 
- A Comissão Europeia divulga às 5h suas projeções econômicas. 
 
- Dados de desenvolvimento das lavouras do Paraná - Deral, na parte da manhã. 
 
-----Quarta-feira (8/07)
 
- A FGV divulga às 8h os dados do Indice Geral de Preços - Disponibilidade 
Interna (IGP-DI) referentes a junho. 
 
- Atualização da estimativa de safra de grãos do Brasil em 2019/20 - Conab,
 9hs. 
 
- Levantamento Sistemático de Produção Agrícola de junho - IBGE, 9hs. 
 
- A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será
 publicada às 11h30min pelo Departamento de Energia (DoE).
 
-----Quinta-feira (9/07)
 
- China: O índice de preços ao consumidor de junho será publicado na noite 
anterior pelo departamento de estatísticas.
 
- China: O índice de preços ao produtor de junho será publicado na noite 
anterior pelo departamento de estatísticas.
 
- Alemanha: O resultado da balança comercial e do balanço de pagamentos de 
maio será publicado às 3h pelo Destatis.
 
- Exportações semanais de grãos dos EUA - USDA, 9h30min. 
 
- Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas - Bolsa de Cereais de Buenos 
Aires, 15hs.
 
- Dados das lavouras no Rio Grande do Sul - Emater, na parte da tarde.
 
-----Sexta-feira (10/07)
 
- O IBGE divulga às 9h os dados sobre o Indice Nacional de Preços ao 
Consumidor (INPC) referentes a junho. 
 
- O IBGE divulga às 9h os dados sobre o Indice Nacional de Preços ao 
Consumidor Amplo (IPCA) referentes a junho. 
 
- EUA: O índice de preços ao produtor de junho será publicado às 9h30 pelo 
Departamento do Trabalho.
 
- Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina - Ministério da 
Agricultura, no início do dia.
 
- Relatório de julho para oferta e demanda mundial e norte-americana de soja, 
milho, trigo, arroz e algodão - USDA, 13hs. 
 
- Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso - IMEA, na parte da 
tarde. 
 
     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS
  
Copyright 2020 - Grupo CMA
 
 
 

AGRONEGÓCIO: Cosan aprova início de estudo visando reorganização societária

 
    Porto Alegre, 6 de julho de 2020 A Cosan S.A, Cosan Logística S.A. Cosan 
Limited, acionista controladora de Cosan e Cosan Log, informam ao mercado que 
seus respectivos Conselhos de Administração aprovaram o início do estudo de 
uma proposta de reorganização societária, pelas diretorias, a ser submetida 
à aprovação dos acionistas em suas respectivas assembleias gerais. Uma vez 
aprovada, a proposta consolidará a Cosan como única holding de todo o grupo. 
Tal reestruturação societária tem como objetivo simplificar a estrutura do 
Grupo Cosan, unificando e consolidando os diversos free floats das Companhias, 
aumentando a liquidez de seus valores mobiliários, bem como destravando valor 
que existe dentro do Grupo Cosan. 
 
Cosan S.A. - Holding Única
 
    A reorganização societária consistirá na incorporação de sociedades 
sob controle comum, nos termos do art. 264,  4, da Lei n 6.404, pela qual 
CZZ e Cosan Log serão incorporadas na Cosan ("Operação Pretendida"). Com 
a conclusão da Operação Pretendida, as ações de Cosan passarão a ser 
detidas diretamente por todos os acionistas de Cosan, CZZ e Cosan Log que 
permanecerem acionistas até a aprovação da Operação Pretendida pelas 
respectivas assembleias gerais, e a Cosan continuará a ser controlada pela 
Aguassanta, veículo de investimento da família do Sr. Rubens Ometto Silveira 
Mello. 
 
    Como parte da operação, a Cosan pretende emitir, aos acionistas que 
detiverem ações de emissão de CZZ até a aprovação da Operação 
Pretendida, American Depositary Shares ("ADRs"), listados na New York Stock 
Exchange ("NYSE"), ou ações de emissão de Cosan negociadas no segmento do
 Novo Mercado da B3 S.A. - Brasil, Bolsa e Balcão em São Paulo ("B3").
 
    Com relação à Cosan Log, após implementada a Operação Pretendida, os 
acionistas que detiverem ações RLOG3 até a data de aprovação da operação,
passarão a deter ações de emissão de Cosan, companhia que, portanto, 
passará a ser a acionista controladora direta de Rumo S.A. (B3: RAIL3) 
("Rumo"), que é atualmente uma subsidiária direta de Cosan Log. Segue 
abaixo organograma ilustrando a estrutura da Operação Pretendida. 
 
    A Operação Pretendida apenas será concluída desde que o valor destinado
ao direito de retirada dos acionistas de Cosan Log não prejudique a 
estabilidade financeira de Cosan, sendo estabelecido um valor fixo máximo para 
o exercício do direito de retirada. Os acionistas de Cosan e CZZ não terão 
direito de retirada.
 
    Para dar acesso direto aos seus principais negócios, a Cosan pretende 
preparar suas principais subsidiárias operacionais e companhias co-controladas 
para a eventual realização de ofertas públicas iniciais de ações. A 
viabilidade e o momento das potenciais ofertas de cada companhia são diferentes
e a efetiva listagem dependerá de inúmeras condições que poderão ser 
alheias à vontade de Cosan. No entanto, nossa intenção é estarmos preparados
 caso tais condições sejam satisfeitas. 
Relação de Troca e Parecer CVM 35
 
    O conselho de administração das Companhias decidiu que deverão ser 
constituídos, em caráter transitório, e conforme orientações do Parecer CVM
35, os comitês especiais independentes para negociação da relação de troca
das ações de emissão (i) de CZZ por ações de emissão de Cosan; e (ii) de 
Cosan Log por ações de emissão de Cosan em razão da eventual implementação
da Operação Pretendida. As Companhias esclarecem que os comitês de Cosan e 
Cosan Log serão formados por não-administradores de tais companhias, todos 
independentes e com notória capacidade técnica, cuja composição será 
oportunamente divulgada. Por consistência e boa prática de governança, 
haverá ainda um comitê de CZZ, formado em sua maioria pelos conselheiros 
independentes de tal companhia, conforme regras de funcionamento da jurisdição
de constituição e de listagem de CZZ. Os Conselhos de Administração de 
Cosan e Cosan Log aprovaram que as assembleias gerais que deliberarem sobre a 
Operação Pretendida, deverão também deliberar acerca da inclusão de 
disposição transitória nos respectivos estatutos sociais para regulamentar, 
com efeitos retroativos, os termos e condições de funcionamento de tais 
comitês, bem como a nomeação ad referendum da Assembleia Geral de seus 
membros.
 
    As Companhias esclarecem que as seguintes premissas foram observadas pela 
administração ao estudar a Operação Pretendida:
 
a) as relações de troca de ações da Operação Pretendida deverão ser 
determinadas sem atribuição de qualquer benefício particular a determinada 
espécie ou classe de ações das Companhias; 
 
b) não deverá haver desconto de holding na avaliação das Companhias;
 
c) as Companhias deverão ser avaliadas pelo seu valor econômico. 
 
    Tais premissas têm por objetivo orientar o estudo da Operação Pretendida
pelas diretorias e, posteriormente, a análise e negociação da relação de 
troca pelos comitês independentes, sem que tal indicação limite de qualquer 
forma a autonomia do trabalho dos comitês.
 
Condições de Fechamento
 
 
    As Companhias estimam que a Operação Pretendida seja concluída em 
aproximadamente 180 dias. A concretização da Operação Pretendida dependerá 
de aprovações societárias e regulatórias incluindo, mas não se limitando, 
CVM e a Securities and Exchange Commission, de credores e de fornecedores das 
Companhias e de suas afiliadas.
 
Acesso a Documentos e Informação Adicional
 
    As informações exigidas pela Instrução CVM n 565, de 15 de junho de 
2015, acerca da Operação Pretendida serão oportunamente divulgadas após a 
negociação entre os comitês independentes e as administrações das 
Companhias, ocasião em que os Conselhos de Administração das Companhias se 
reunirão para aprovar os termos definitivos da Operação Pretendida a serem 
submetidos à aprovação das assembleias gerais das Companhias.
 
    As Companhias informam que manterão seus acionistas e o mercado em geral 
atualizados acerca de quaisquer andamentos ou notícias em relação à 
Operação Pretendida. 
 
    Na próxima segunda-feira, dia 06 de julho de 2020, às 14 horas (13h EST),
será realizada uma teleconferência. As informações parte da assessoria de 
imprensa da Cosan Limited.
 
     Revisão: Arno Baasch (arno@safras.com.br) / Agência SAFRAS
 
Copyright 2020 - Grupo CMA
 
 
 
 

MONITOR SOJA: Chicago em alta deve sustentar cotações domésticas

 
    Porto Alegre, 6 de julho de 2020 - O destaque inicial para o mercado 
brasileiro de soja na semana é a boa alta dos preços em Chicago. As cotações
sobem mais de 1% e podem impulsionar os preços domésticos. Em contrapartida, 
o dólar recua. Com pouca soja disponível, a tendência é de poucos negócios 
no Brasil. 
 
    Com o feriado nos Estados Unidos e sem o referencial de Chicago, o mercado 
travou na sexta. Os preços oscilaram entre estáveis e mais baixos, mas eram 
apenas uma referência nominal, já que os agentes não negociaram. A queda do 
dólar e dos prêmios completou o cenário negativo para a comercialização. 
 
    Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos recuou de R$ 114,50 para R$ 
113,50. Na região das Missões, a cotação baixou de R$ 114,00 para R$ 113,00.
 No porto de Rio Grande, o preço caiu de R$ 117,50 para R$ 116,50. 
 
    Em Cascavel, no Paraná, o preço seguiu em R$ 108,50 a saca. No porto de 
Paranaguá (PR), a saca permaneceu em R$ 115,00.
 
    Em Rondonópolis (MT), a saca baixou de R$ 109,00 para R$ 108,00. Em 
Dourados (MS), a cotação ficou em R$ 107,00. Em Rio Verde (GO), a saca 
estabilizou em R$ 105,00.
 
COMERCIALIZAÇÃO
 
    A comercialização da safra 2019/20 de soja do Brasil envolve 92,9% da 
produção projetada, conforme relatório de SAFRAS & Mercado, com dados 
recolhidos até 3 de julho. No relatório anterior, com dados de 5 de junho, o 
número era de 88,7%. 
 
    Em igual período do ano passado, a negociação envolvia 71,1% e a média 
para o período é de 74,8%. Levando-se em conta uma safra estimada em 124,609 
milhões de toneladas, o total de soja já negociado é de 115,806 milhões de 
toneladas. 
 
    A venda antecipada para 2020/21 pulou de 35,6% no início de junho para 
39,8%. Como SAFRAS ainda não tem projeção de safra para a próxima temporada,
a base para cálculo foi a de uma produção igual a desse ano. Ou seja, cerca 
de 49,6 milhões de toneladas já foram comprometidas. 
 
    A comercialização da safra futura está bem acelerada na comparação com
o ano anterior, quando o índice era de 14,7%, e também supera a média normal
 para o período, de 12,4%. 
 
    O analista de SAFRAS, Luiz Fernando Roque, ressalva que a perda no ritmo 
dos negócios no período é reflexo dos grandes volumes já comercializados, 
tanto para a safra disponível como para a safra nova. 
 
CHICAGO
 
* Os contratos com vencimento em novembro registram valorização de 1,44%, 
cotado a US$ 9,09  por bushel. 
 
* A previsão de clima seco e temperaturas elevadas para as regiões produtoras 
dos Estados Unidos, podendo comprometer a produtividade, asseguram a alta. 
 
PREMIOS
 
* O prêmio em Paranaguá para julho ficou em 100 a 118 pontos acima de Chicago.
 Para agosto, o valor é de 110 a 123 pontos acima. 
 
CÂMBIO
 
* O dólar comercial registra baixa de 0,65% a R$ 5,287. 
 
INDICADORES FINANCEIROS
 
* As principais bolsas da Ásia fecharam em alta. Xangai, +5,71%. Tóquio, 
+1,89%.
 
* As principais bolsas na Europa operam em alta. Frankfurt, +1,66%; Londres, 
+1,77%. 
 
* O petróleo opera com ganhos moderados. Agosto do WTI em NY: US$ 40,66 o 
barril (+0,02%). 
 
* O Dollar Index registra baixa de 0,5%, a 96,69 pontos.
 
AGENDA
 
- Vendas, exportações e produção de máquinas agrícolas em junho - 
Anfavea, a partir das 10hs. 
 
- Inspeções de exportação semanal dos EUA - USDA, 12hs.
 
- Balança comercial da 1 semana de julho - Ministério da Economia, 15hs. 
 
- Condições das lavouras norte-americanas - USDA, 17hs. 
 
----Terça-feira (7/07)
 
- Alemanha: A produção industrial de maio será publicada às 3h pelo 
Ministério de Economia e Tecnologia.
 
- A Comissão Europeia divulga às 5h suas projeções econômicas. 
 
- Dados de desenvolvimento das lavouras do Paraná - Deral, na parte da manhã. 
 
-----Quarta-feira (8/07)
 
- A FGV divulga às 8h os dados do Indice Geral de Preços - Disponibilidade 
Interna (IGP-DI) referentes a junho. 
 
- Atualização da estimativa de safra de grãos do Brasil em 2019/20 - Conab,
 9hs. 
 
- Levantamento Sistemático de Produção Agrícola de junho - IBGE, 9hs. 
 
- A posição dos estoques de petróleo até sexta-feira da semana passada será
 publicada às 11h30min pelo Departamento de Energia (DoE).
 
-----Quinta-feira (9/07)
 
- China: O índice de preços ao consumidor de junho será publicado na noite 
anterior pelo departamento de estatísticas.
 
- China: O índice de preços ao produtor de junho será publicado na noite 
anterior pelo departamento de estatísticas.
 
- Alemanha: O resultado da balança comercial e do balanço de pagamentos de 
maio será publicado às 3h pelo Destatis.
 
- Exportações semanais de grãos dos EUA - USDA, 9h30min. 
 
- Dados de desenvolvimento das lavouras argentinas - Bolsa de Cereais de Buenos 
Aires, 15hs.
 
- Dados das lavouras no Rio Grande do Sul - Emater, na parte da tarde.
 
-----Sexta-feira (10/07)
 
- O IBGE divulga às 9h os dados sobre o Indice Nacional de Preços ao 
Consumidor (INPC) referentes a junho. 
 
- O IBGE divulga às 9h os dados sobre o Indice Nacional de Preços ao 
Consumidor Amplo (IPCA) referentes a junho. 
 
- EUA: O índice de preços ao produtor de junho será publicado às 9h30 pelo 
Departamento do Trabalho.
 
- Dados do desenvolvimento das lavouras da Argentina - Ministério da 
Agricultura, no início do dia.
 
- Relatório de julho para oferta e demanda mundial e norte-americana de soja, 
milho, trigo, arroz e algodão - USDA, 13hs. 
 
- Dados de desenvolvimento das lavouras do Mato Grosso - IMEA, na parte da 
tarde. 
 
     Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS
 
Copyright 2020 - Grupo CMA
 

AGRONEGÓCIO: CMN publica resoluções que regulamentam Plano Safra 2020/2021

 
    Porto Alegre, 6 de julho de 2020 - O Conselho Monetário Nacional 
publicou uma série de resoluções que normatizam os anúncios feitos no Plano 
Agrícola e Pecuário 2020/2021, informa a Confederação da Agricultura e 
Pecuária do Brasil (CNA) em seu boletim semanal, com informações coletadas no
 período de 29 de junho a 3 de julho.
 
    Outro ponto observado nesta semana foi que o mercado de açúcar segue 
aquecido com a retração dos preços do etanol diante do impacto da pandemia. A
publicação mostra que o Brasil exportou, em junho, 3 milhões de toneladas de
açúcares e melaços, 95,19% a mais que o volume embarcado no mesmo mês de 
2019.
 
    No início da safra 2020/2021, o boletim aponta queda na produção e nas 
vendas de etanol e crescimento na produção de açúcar no início da safra 
2020/2021.
 
    No cenário internacional, o boletim traz relatos de acontecimentos desta 
semana que envolveram Brasil, Mercosul, China, União Europeia, além de 
informações do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da Organização para 
Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).
 
Plano Agrícola e Pecuário
 
    O Conselho Monetário Nacional divulgou as resoluções (4.823 a 4.836) que
normatizam os anúncios feitos no Plano Agrícola e Pecuário 2020/2021. As 
contratações de crédito da nova safra iniciaram dia 1 de julho.
 
    O Banco do Brasil, Banco do Nordeste e Banco da Amazônia fizeram seus 
eventos de lançamento de safra nesta semana.
 
    O Banco do Brasil irá disponibilizar R$ 103 bilhões para a safra 
2020/2021, volume 11,3% superior ao da safra passada. Do total, serão 
destinados R$ 61 bilhões para custeio, R$ 14,2 bilhões para comercialização,
R$ 17,5 bilhões para investimento e R$ 10,3 bilhões para empresas do setor do
agro. Dentro desses recursos totais, o Programa Nacional de Apoio ao Médio 
Produtor (Pronamp) terá R$ 14,4 bilhões. Já para os pequenos produtores 
enquadrados no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar 
(Pronaf) serão disponibilizados R$ 13,7 bilhões.
 
    Quanto ao Banco do Nordeste, o volume de recursos será de R$ 8,26 
bilhões, um aumento de 6% em relação ao orçamento da safra passada. Desse 
total, R$ 3,2 bilhões serão para financiamento de custeio, R$ 1,4 bilhão para
investimento e R$ 160 milhões para comercialização. Já para os pequenos 
produtores enquadrados no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura 
Familiar (Pronaf), o montante é de R$ 3,5 bilhões.
 
    O Banco da Amazônia irá disponibilizar R$ 5 bilhões para toda a região 
amazônica, 25% a mais que no Plano Safra 2019/2020. Para os agricultores que se
enquadram no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar 
(Pronaf), as taxas de juros praticadas serão de 2,75% a 4% ao ano. Já para o 
Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), as taxas para 
contratação de custeio serão de 4,4% para mini e pequenos produtores, 4,65% 
para médios e 4,86% para grandes produtores, ao ano.
 
Commodities
 
    Com os preços do etanol retraídos devido aos impactos da pandemia, o 
mercado de açúcar segue aquecido. O Brasil exportou em junho 3 milhões de 
toneladas de açúcares e melaços, 95,19% a mais que o volume embarcado no 
mesmo mês de 2019. Com clima mais seco e maior velocidade da moagem, a área 
colhida até a 1 quinzena de junho deste ano apresentou crescimento de 8,8%. A
produção de açúcar cresceu 57% e a de etanol teve queda de 3,7% no 
comparativo com a safra 2019/2020.
 
    No acumulado desde o início da safra 2020/2021, até 16 de junho, as 
vendas de etanol pelas empresas do Centro-Sul acumularam retração de 24,83%.
 
    O aumento acentuado dos casos de Covid-19 em Mato Grosso tem gerado 
preocupações quanto às operações da segunda safra de milho e algodão, 
visto que houve casos pontuais de afastamento de trabalhadores contaminados.
 
    Na cafeicultura, diante da pandemia, o Sistema Faemg/Senar amplia no Sul de
 Minas as capacitações de produtores e trabalhadores rurais por vídeo aula.
 
    Sem grandes impactos da pandemia, consultorias estimam que, até o final de
junho, a safra de café (arábica e conilon) se aproximou de 50% do volume 
colhido, com ritmo mais lento em relação ao mesmo período do ano passado 
quando 60% do volume já tinham sido colhidos.
 
    Com o adiantar da safra de conilon, o estado de Rondônia praticamente 
encerrou a colheita. No entanto, no Espírito Santo a safra continua em 
andamento. Estima-se que 70% da produção da espécie tenha sido colhida.
 
    No caso do café arábica, estima-se que a colheita se encontra próxima de
40%. No mesmo período de 2019, mais de 50% do volume produzido da espécie já
tinha sido colhido até o final de julho. E apesar dos questionamentos em 
relação à redução do consumo, o mercado reage diante das previsões de 
geadas para as regiões produtoras do Brasil e acumula altas na semana.As 
informações são da Assessoria de Comunicação da CNA.
 
     Revisão: Rodrigo Ramos (rodrigo@safras.com.br) / Agência SAFRAS
 
Copyright 2020 - Grupo CMA