Informações Confiáveis,
Negócios Rentáveis

Notícias

Videos

+

Nossos Produtos

NewsLetter

Mercado em Foco

CAFÉ: Estoques certificados de Nova York subiram 7.601 sacas em 27/01

 
 
 
    Porto Alegre, 27 de janeiro de 2021 - Os estoques certificados de café nos
armazéns credenciados da Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures) na 
posição de 27 de janeiro de 2021 estão em 1.617.376 sacas de 60 quilos, com 
aumento de 7.601 sacas em relação ao dia anterior. As informações partem da 
ICE Futures.
 
     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS
 
Copyright 2021 - Grupo CMA
 
 

MERCADO MILHO: Oferta segue mostrando aumento no Brasil

 
 
   Porto Alegre, 27 de janeiro de 2021 - O mercado brasileiro de milho 
registrou preços fracos nesta quarta-feira, de estáveis a moderadamente mais 
baixos. Segundo o consultor de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, 
persiste o aumento da fixação de oferta em alguns estados, o que tem levado à
queda dos preços. "Importante destacar que a dinâmica de mercado tende a 
ser outra com o avanço da colheita da soja, além do adicional de frete. 
Tradicionalmente a comercialização de milho fica em segundo plano", comenta 
Iglesias, o que tende a dar suporte aos preços do milho.
 
   No Porto de Santos, o preço ficou em R$ 81,50/87,00 a saca. No Porto de 
Paranaguá (PR), preço em R$ 80,50/87,00 a saca.
 
   No Paraná, a cotação ficou em R$ 78,00/80,00 a saca em Cascavel. Em São 
Paulo, preço de R$ 80,00/82,00 na Mogiana. Em Campinas CIF, preço de R$ 
82,00/84,00 a saca.
  
   No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 85,00/86,00 a saca em Erechim. Em 
Minas Gerais, preço em R$ 79,00/80,00 a saca em Uberlândia. Em Goiás, preço 
esteve em R$ 75,00 - R$ 76,00 a saca em Rio Verde - CIF. No Mato Grosso, preço 
ficou a R$ 73,00/75,00 a saca em Rondonópolis. 
 
 
CHICAGO
 
    A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou a sessão de 
hoje com preços predominantemente mais baixos. Em sessão volátil, os três 
contratos com entrega mais próxima foram sustentados pela demanda chinesa pelo 
cereal norte-americano. As chuvas benéficas às lavouras de milho na América 
do Sul atuaram como um fator baixista aos preços e derrubaram as posições 
mais distantes.
 
   Os exportadores privados norte-americanos reportaram ao Departamento de 
Agricultura dos Estados Unidos (USDA) a venda de 680 mil toneladas de milho para
 a China. A entrega está programada para a temporada 2020/21. 
 
   Os contratos de milho com entrega em março/21 fecharam a US$ 5,34, alta de 
1,75 centavo de dólar, ou 0,32%, em relação ao fechamento anterior. A 
posição maio de 2021 fechou a sessão a US$ 5,35 1/4 por bushel, ganho de 1,50
 centavo de dólar, ou 0,28%, em relação ao fechamento anterior.
 
CÂMBIO
 
    O dólar comercial encerrou a sessão em alta de 1,55%, sendo negociado a 
R$ 5,4060 para venda e a R$ 5,4040 para compra. Durante o dia, a moeda 
norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,3500 e a máxima de R$ 5,4190. 
 
     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) - Agência SAFRAS
 
Copyright 2021 - Grupo CMA
 
 
 
 

MERCADO BOI: Cotações estáveis no Brasil nesta quarta-feira

 
 
   Porto Alegre, 27 de janeiro de 2021 - O mercado físico do boi gordo 
apresentou preços estáveis nesta quarta-feira. Segundo o analista de SAFRAS & 
Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o mercado aparenta ter alcançado um teto 
em seus preços. "A margem desgastada da indústria frigorífica tem se 
mostrado um enorme empecilho para movimentos ainda mais robustos de alta. No 
entanto, ainda não há indícios de aumento da oferta", comenta.
 
    Iglesias diz que os frigoríficos ainda encontram grande dificuldade em 
compor suas escalas de abate, que ainda atendem entre três e quatro dias 
úteis. A expectativa é que uma entrada mais significativa ocorra apenas em 
meados de março, quando os animais tendem a atingir o peso ideal para abate.
 
    Em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 
298,00/299,00 a arroba, estável. Em Goiânia (GO), a arroba teve preço 
estável de R$ 290,00. Em Dourados (MS), a arroba permaneceu em R$ 287,00. Em 
Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 280,00, inalterada. Em Uberaba, Minas 
Gerais, preços estáveis em R$ 295,00 a arroba.
 
     Atacado
 
    O mercado atacadista volta se deparar com acomodação em seus preços. No 
interior de São Paulo, a mudança da alíquota do ICMS local produz uma 
dificuldade adicional no escoamento da carne. "Alguns frigoríficos sinalizam 
para câmaras frias lotadas. Esse aspecto é bastante relevante, uma vez que 
pode determinar mudanças nas estratégias dos frigoríficos na aquisição de 
boiadas", observou Iglesias. Além disso, os preços proibitivos da carne 
bovina remetem a um consumo cada vez maior de proteínas mais acessíveis, 
enfaticamente o caso da carne de frango. 
 
    Corte traseiro ainda é precificado a R$ 20,80, por quilo. Ponta de agulha 
segue no patamar de R$ 15,50, por quilo. Corte dianteiro também permanece 
cotado a R$ 15,50, por quilo.
 
     Câmbio
 
    O dólar comercial encerrou a sessão em alta de 1,55%, sendo negociado a 
R$ 5,4060 para venda e a R$ 5,4040 para compra. Durante o dia, a moeda 
norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,3500 e a máxima de R$ 5,4190. 
 
     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) - Agência SAFRAS 
 
Copyright 2021 - Grupo CMA
 
 
 
 
 
 

MERCADO CAFÉ: Preços saltam no Brasil com altas em NY e no dólar

 
 
    Porto Alegre, 27 de janeiro de 2021 - O mercado físico brasileiro de 
café registrou preços bem mais altos nesta quarta-feira. As cotações subiram
diante da valorização do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US), da 
alta do dólar e da demanda do comprador. Embora sem um amplo ritmo de 
negócios, houve volumes movimentados, mas de forma regionalizada. 
 
   No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa com 15% de catação 
terminou o dia em R$ 670,00/675,00 a saca, contra R$ 650,00/655,00 do dia 
anterior. No cerrado mineiro, arábica bebida dura com 15% de catação teve 
preço de R$ 675,00/680,00, no comparativo com R$ 655,00/660,00 de ontem.
 
    Já o café arábica "rio" tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 
20% de catação, teve preço de R$ 460,00/465,00, contra R$ 450,00/455,00 de 
ontem. O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, teve preço de R$ 
415,00/420,00 a saca, contra R$ 410,00/415,00 do dia anterior.
 
Nova York
 
    A Bolsa de Mercadorias de Nova York (Ice Futures US) para o café arábica 
encerrou as operações desta quarta-feira com preços mais altos.
 
    A sessão foi de muita volatilidade, com NY buscando direção e oscilando 
entre os terrenos negativo e positivo. Em parte do dia o mercado operava em 
baixa seguindo a desvalorização do petróleo. Mas, o petróleo reagiu e 
melhorou o desempenho, e o café seguiu. Fatores técnicos foram importantes 
para a recuperação, com o mercado encontrando suportes quando recuou, o que 
atraiu compras.
 
    Os contratos com entrega em março/2021 fecharam o dia a 125,50 centavos de
dólar por libra-peso, com alta de 1,00 centavo, ou de 0,8%. A posição 
maio/2021 fechou a 127,55 centavos, com ganho de 0,95 centavo, ou de 0,7%.
  
Dólar
 
    O dólar comercial encerrou a sessão em alta de 1,55%, sendo negociado a 
R$ 5,4060 para venda e a R$ 5,4040 para compra. Durante o dia, a moeda 
norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,3500 e a máxima de R$ 5,4190. 
 
     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS
 
Copyright 2021 - Grupo CMA
 
 
 
 
 
 

LINE-UP Açúcar: Posição dos navios nos principais portos do Brasil

 
São Paulo, 27 de Janeiro de 2021.
 
Confira a posição dos navios nos principais portos do Brasil no link abaixo:
 
http://news.cma.com.br/lineup/noticia/20210127_Acucar_1611786697_1.pdf
 
Copyright 2021 - Grupo CMA

MERCADO ETANOL: Quarta-feira de preços pouco alterados no Brasil

 
 
   Porto Alegre, 27 de janeiro de 2021 - O mercado físico de etanol teve uma
quarta-feira de poucas alterações nos preços praticados entre o Centro-Sul e
o Centro-Oeste do Brasil. O mercado segue dentro do padrão limitado de demanda
entre os consumidores finais, que resulta em compras claramente pontuais por 
parte das distribuidoras, tanto as de maior quanto as de menor porte, indica o 
consultor de SAFRAS & Mercado, Maurício Muruci. 
 
    Nos movimentos iniciais do dia, os reflexos do recente ajuste de alta de 5%
nos preços de referência da gasolina foram sentidos de forma marginal, com 
ganhos muito pontuais, até mesmo nas pedidas de preços por parte das usinas, 
avaliou. Ainda no final da terceira semana de janeiro as distribuidoras já 
haviam atuado junto às usinas em função de recomposição de seus estoques de
curto prazo. Logo, a ponta compradora já se encontrava com seu abastecimento 
em dia após os ajustes nos preços da gasolina. "É claro que a tendência de
alta e precificação do biocombustível ainda existe, mas ela deve ser 
executada de forma gradual ao longo do restante da quarta semana de janeiro e da
primeira de fevereiro, à medida que as distribuidoras forem retornando ao 
mercado", avalia.
 
    O hidratado em Ribeirão Preto teve alta de 0,39% a R$ 2,59 o litro, com 
usinas tentando vender a R$ 2,63 e distribuidoras tentando pagar R$ 2,57 o 
litro. O anidro na mesma localidade em queda de 1,55% a R$ 2,54 o litro com 
usinas tentando vender a R$ 2,56 e distribuidoras tentando comprar a R$ 2,53 o 
litro. 
 
     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS
 
Copyright 2021 - Grupo CMA
 

CORONAVIRUS: Brasil acumula 8,996 milhões de casos confirmados

 
    Brasília, 27 de janeiro de 2021 - O Brasil tem 8.996.876 de casos 
confirmados de covid-19 no território nacional e 63.520 registros nas últimas 
24 horas de acordo com atualização do ministério da Saúde e secretarias 
estaduais de Saúde. O número de mortes em decorrência da covid-19 no 
território brasileiro subiu de 218.878 para 220;161 segundo divulgação, com 
1.283 novos registros de mortes nas últimas 24 horas. 
     
    São Paulo registra o maior número de mortes com 52.170 confirmações e o
Rio de Janeiro 29.230 óbitos. Os estados que sucedem a lista de maior número 
mortes causadas pelo novo coronavírus são Minas Gerais (14.544), Ceará 
(10.402), Sul (10.512), Pernambuco (10.251) e Bahia (9.952).
 
     As informações são da agência CMA.
 
Copyright 2021 - Grupo CMA
 
 
 

MERCADO AÇÚCAR: Alta do dólar e entressafra garantem preços firmes

 
 
  Porto Alegre, 27 de janeiro de 2021 - O mercado brasileiro de açúcar 
registrou preços mais altos nesta quarta-feira. As cotações reagiram à 
combinação de valorização do dólar e oferta limitada pela entressafra no 
Brasil.
 
    Em Santos, a saca de 50 kg de açúcar com até 150 Icumsa encerrou a 
quarta-feira em alta de 0,96% a R$ 105,00 [US$/cents 17,62]. Em Ribeirão Preto 
preços em alta de 0,94% a R$ 107,00 [US$/cents 17,96]. Embarcado em big bags 
ela é cotada a US$ 106,00 [US$/cents 17,79]. O açúcar com maior coloração, 
com 180 Icumsa, fico cotado ao redor de R$ 106,00 [US$/cents 17,79]. 
 
    O etanol hidratado se mostrou 22,54% menos vantajoso que o açúcar bruto 
em Nova York equivalendo a US$/cents 11,20 [PVU] e 24,22% menos vantajoso que o 
açúcar cristal de Ribeirão Preto, equivalendo a R$ 50kg 81,09 [US$/cents 
13,61].
 
Nova York
 
    A Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE Futures US) para o açúcar bruto 
encerrou o pregão eletrônico com cotações predominantemente mais altas nesta
 quarta-feira.
 
    O mercado teve uma sessão volátil e buscando direcionamento ao longo do 
dia. O petróleo teve perdas em parte da quarta-feira e reagiu, e o açúcar 
seguiu este movimento. Fatores técnicos foram importantes. Segundo o consultor 
de SAFRAS & Mercado, Maurício Muruci, a bolsa também reagiu a dados da Unica 
(União da Indústria de mostrando como marcante a entressafra no Brasil, com 
uma oferta restrita.
 
   Segundo da Única (União da Indústria de Cana-de-açúcar), em função da
baixa moagem, as produções de açúcar e de etanol na primeira metade de 
janeiro foram reduzidas. A fabricação quinzenal de açúcar nesse período 
totalizou 7,57 mil toneladas e a de etanol 124,80 milhões de litros.
 
   "Estamos avaliando a programação de início de moagem das unidades 
produtoras. A nossa percepção é de que teremos um menor número de unidades 
em operação em março, com início mais concentrado no mês de abril, devido 
ao impacto da estiagem no desenvolvimento da cana", explicou o diretor técnico
  da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues.
 
    Os contratos com entrega em março/2021 encerraram o dia a 15,80 centavos 
de dólar por libra-peso, alta de 0,06 centavo, ou de 0,4%. A posição 
maio/2021 fechou cotada a 15,11 centavos, ganho de 0,07 centavo, ou de 0,5%. 
 
Câmbio
 
    O dólar comercial encerrou a sessão em alta de 1,55%, sendo negociado a 
R$ 5,4060 para venda e a R$ 5,4040 para compra. Durante o dia, a moeda 
norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,3500 e a máxima de R$ 5,4190. 
 
     Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS 
 
Copyright 2021 - Grupo CMA