MERCADO: Chicago e dólar recuam, travando negócios com soja

Porto Alegre, 11 de março de 2019 – O mercado brasileiro de soja iniciou
a semana travado e com preços entre estáveis e mais baixos. A queda combinada
de dólar e Chicago afastou os negociadores e tornou morosa a
comercialização.

Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos seguiu em R$ 73,00. Na região das
Missões, a cotação subiu de R$ 72,00 para R$ 72,50 a saca. No porto de Rio
Grande, preços estabilizaram em R$ 78,00.

Em Cascavel, no Paraná, o preço baixou de R$ 73,00 para R$ 72,00. No
porto de Paranaguá (PR), a saca passou de R$ 78,50 para R$ 77,50.

Em Rondonópolis (MT), a saca baixou de R$ 70,00 para R$ 68,50. Em Dourados
(MS), a cotação recuou de R$ 70,50 para R$ 68,50. Em Rio Verde (GO), a saca
permaneceu em R$ 68,50.

Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago
(CBOT) fecharam a segunda-feira com preços mais baixos. A falta de acordo
comercial entre China e Estados Unidos voltou a pressionar o mercado, mesmo
com a nova venda anunciada pelo Departamento de Agricultura dos Estados
Unidos (USDA).

Segundo o USDA, os exportadores privados venderam 926 mil toneladas para a
China. Na sexta, foram outras 664 mil toneladas. O volume, no entanto, está
aquém do esperado pelo mercado nesta retomada das negociações, tendo em
vista a promessa de operações envolvendo 10 milhões de toneladas.

As inspeções de exportação norte-americana de soja chegaram a 874.363
toneladas na semana encerrada no dia 7 de março, conforme relatório semanal
divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Na semana anterior, as inspeções haviam atingido 848.357 toneladas. No
ano passado, em igual período, o total fora de 930.222 toneladas. No acumulado
do ano-safra, iniciado em 1 de setembro, as inspeções estão em 26.832.281
toneladas, contra 39.730.303 toneladas no acumulado do ano-safra anterior.

Os contratos da soja em grão com entrega em maio fecharam com baixa de
5,75 centavos de dólar ou 0,64%, a US$ 8,90 por bushel. A posição julho teve
cotação de US$ 9,04 por bushel, perda de 5,75 centavos ou 0,63%.

Nos subprodutos, a posição maio do farelo fechou com baixa de US$ 2,40 ou
0,79%, sendo negociada a US$ 301,30 por tonelada. No óleo, os contratos com
vencimento em maio fecharam a 29,64 centavos de dólar, com perda de 0,01
centavo ou 0,03%.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em baixa de 0,77%, negociado a R$
3,8400 para a compra e a R$ 3,8420 para a venda. Durante o dia, a moeda
norte-americana oscilou entre a máxima de R$ 3,8610 e a mínima de R$ 3,8350.

Agenda de terça

– Reino Unido: A balança comercial de janeiro será publicada às 6h30 pelo
departamento de estatísticas.

– Reino Unido: A produção industrial de janeiro será publicada às 6h30 pelo
departamento de estatísticas.

– O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulga às 9h os
dados sobre o Indice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) referentes a
fevereiro.

– O IBGE divulga às 9h os dados sobre o Indice Nacional de Preços ao
Consumidor Amplo (IPCA) referentes a fevereiro.

– Levantamento para a safra brasileira de grãos em 2018/19 – Conab, 9hs.

– Levantamento Sistemático de Produção Agrícola de fevereiro – IBGE, 9hs.

– Dados semanais sobre a safra de grãos e café do Paraná (Deral), na parte da
manhã.

– EUA: O índice de preços ao consumidor de fevereiro será publicado às 9h30
pelo Departamento do Trabalho.

Dylan Della Pasqua (dylan@safras.com.br) / Agência SAFRAS