MILHO: Após relatório de área nos EUA, mercado aguarda condições – SAFRAS

Porto Alegre, 28 de junho de 2019 – Acompanhe abaixo os fatos que deverão merecer a atenção do mercado de milho na semana. As dicas são do analista da SAFRAS Consultoria, Fernando Henrique Iglesias.

– CBOT acumulou forte queda no pregão da sexta-feira (28). A sessão da CBOT foi pautada pelo Relatório Trimestral de Estoques divulgado pelo USDA, os números em si surpreenderam o mercado e estiveram muito acima das projeções iniciais.

– Os Estados Unidos deverão cultivar em torno de 91,7 milhões de acres na safra 2019/20, com alta de 3% frente aos 89,129 milhões de acres registrados na temporada 2018/19.

– O mercado trabalhava com uma expectativa de área de 87,026 milhões de acres.

A área ficou abaixo dos 92,792 milhões de acres divulgados no relatório de intenção de plantio, divulgado no final de março.

– A grande discussão ficará em torno da produtividade média, uma vez que os últimos relatórios de condição das lavouras indicaram números preocupantes.

– O mercado seguirá atento ao clima com as lavouras entrando em fase de polinização a partir do dia 20 de julho. 

– No mercado doméstico, o reflexo do relatório trimestral dos estoques foi imediato, a paridade de exportação cedeu de R$ 42 para R$ 39/39,50.

– Da mesma forma que a B3 também se deparou com agressiva queda ao longo da sessão, movimento especialmente agressivo para os contratos setembro e novembro, que têm a paridade de exportação como sua principal referência.

– A tendência é que os preços domésticos sejam reposicionados no início da semana com a mudança da paridade de exportação.

– No interior paulista, a indicação de oferta já recuou para R$ 35 na região da Sorocabana.

     Gabriel Nascimento (gabriel.antunes@safras.com.br) / Agência SAFRAS