MERCADO: Milho apresenta lentidão no Brasil nesta terça-feira

Porto Alegre, 5 de junho de 2018 – O cenário para o mercado disponível
de milho foi de inexpressivo fluxo de negócios nesta terça-feira. Segundo o
analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, os consumidores
ainda operam em função do recebimento das cargas negociadas antes da
paralisação dos caminhoneiros. Em contrapartida, em alguns estados já é
perceptível uma maior fixação de oferta, caso específico de São Paulo.

No porto de Santos, o preço ficou entre em R$ 40,50/42,50 a saca de 60
quilos para entrega na safrinha. No porto de Paranaguá, preço de R$ 40,00 a R$
42,00 No Paraná, a cotação ficou em R$ 41,00/43,00 a saca em Cascavel. Em
São Paulo, o preço esteve em R$ 41,50/43,00 a saca na Mogiana. Em Campinas
CIF, preço de R$ 43,50/44,50.

No Rio Grande do Sul, preço ficou em R$ 44,50/46,50 em Erechim. Em Minas
Gerais, preço em R$ 38,00/40,00 em Uberlândia. Em Goiás, preço esteve em R$
36,00/37,00 em Rio Verde. Em Mato Grosso, preço ficou entre R$ 29,00/30,00 a
saca em Rondonópolis.

Chicago

A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) para o milho fechou com preços
mais altos. Após oscilar no início do dia, quando chegou a registrar o menor
patamar desde 20 de abril, o mercado se firmou no território positivo, buscando
uma recuperação frente às fortes perdas de ontem. As condições das
lavouras norte-americanas pioraram em relação à semana anterior, abrindo
espaço para a reação. As informações são da Agência Reuters.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou ontem
dados sobre as condições das lavouras americanas de milho. Segundo o USDA,
até 3 de junho, 78% estavam entre boas e excelentes condições, 19% em
situação regular e 3% em condições entre ruins e muito ruins. Na semana
anterior, os números eram de 79%, 18% e 3%, respectivamente.

Os contratos de milho com entrega em julho fecharam a US$ 3,83 3/4, alta de
3,00 centavos de dólar, ou +0,78%, em relação ao fechamento anterior. A
posição setembro de 2018 fechou a US$ 3,93 por bushel, recuo de 3,25 centavos
ou +0,83%.

CÂMBIO

O dólar comercial fechou a negociação com alta de 1,81%, cotado a R$
3,8100 para a compra e a R$ 3,8120 para a venda. Durante o dia, a moeda
norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 3,7580 e a máxima de R$ 3,8160.

Lessandro Carvalho (lessandro@safras.com.br) / Agência SAFRAS