SEMANA SUINOS: Preços têm estabilidade, na expectativa de alta para período de festas

Porto Alegre, 20 de outubro de 2023 – A semana registrou preços estáveis tanto no quilo vivo quanto nos principais cortes de carne suína do atacado. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Iglesias, o mercado desfruta de uma acomodação.

   De acordo com Iglesias, no entanto, o período de festas pode ser um fator importante para justificar a retomada do movimento de alta no curto prazo. “Este período marca o ápice do consumo por proteínas de origem animal, sendo especialmente relevante para a carne suína”, diz.

   “No que diz respeito às exportações, a expectativa ainda é de bons volumes a serem embarcados. O cerne da questão segue nos preços pagos pela carne suína no mercado internacional”, conclui.

Preços

   Levantamento de SAFRAS & Mercado apontou que a média de preços do quilo do suíno vivo no país tiveram estabilidade na semana, em R$ 6,03. A média de preços pagos pelos cortes de pernil no atacado continuou em R$ 10,47 e a média da carcaça em R$ 9,73.

   A análise semanal de preços de SAFRAS & Mercado apontou que a arroba suína em São Paulo continuou em R$ 129,00. Na integração do Rio Grande do Sul, o quilo vivo permaneceu em R$ 5,25 e no interior do estado em R$ 6,25.

   Em Santa Catarina, o preço do quilo na integração seguiu em R$ 5,30 e no interior catarinense em R$ 6,15. No Paraná, o preço do quilo vivo teve estabilidade R$ 6,30 no mercado livre e, na integração, de R$ 5,25.

   No Mato Grosso do Sul, a cotação em Campo Grande ficou em R$ 5,90. Na integração, os preços ficaram estáveis em R$ 5,30. Em Goiânia, o quilo vivo continuou em R$ 6,50. No interior de Minas Gerais, os preços permaneceram em R$ 6,75 e, no mercado independente, em R$ 6,90. Em Mato Grosso, o preço do quilo vivo em Rondonópolis seguiu em R$ 5,85 e, na integração do estado, em R$ 5,30.

Exportações

   As exportações de carne suína “in natura” do Brasil renderam US$ 92,208 milhões em outubro (9 dias úteis), com média diária de US$ 10,245 milhões. A quantidade total exportada pelo país no período chegou a 39,718 mil toneladas, com média diária de 4,413 mil toneladas. O preço médio ficou em US$ 2.321,60.

   Em relação a outubro de 2022, houve baixa de 12,6% no valor médio diário, perda de 6,9% na quantidade média diária e queda de 6,1% no preço médio. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

Pedro Carneiro (pedro.carneiro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2023 – Grupo CMA