SEMANA FRANGO: Preços permanecem firmes, com pouco espaço para progressão

   Porto Alegre, 20 de outubro de 2023 – O mercado brasileiro de frango registrou preços predominantemente estáveis tanto para o frango vivo quanto para os cortes negociados no atacado e na distribuição, se comparados à semana anterior. Segundo o analista de SAFRAS & Mercado, Fernando Iglesias, o ambiente de negócios sugere por pouco espaço para alta dos preços no decorrer da segunda quinzena do mês.

   De acordo com o analista, o mercado atacadista voltou a apresentar preços firmes em um período pautado por menor apelo ao consumo. “No entanto, o ápice do consumo no mercado interno ainda é um fator importante a ser considerado no curto prazo, gerando estímulo a demanda de proteínas de origem animal no decorrer do último bimestre”, destaca.

   “A Influenza Aviária ainda é um ponto relevante de atenção. O Brasil segue mantendo um amplo trabalho de testagem e de vigilância para impedir a incursão da doença em seu plantel comercial. Até o momento, o país conta com 132 focos da doença, sendo destes 129 em animais selvagens e apenas 3 focos em aves de fundo de quintal”, diz Iglesias. “O Brasil tende a ampliar as precauções a partir de novembro, período em que inicia as migrações das aves do hemisfério norte para o hemisfério sul”, explica.

   Por fim, Iglesias ressalta que a população de menor renda segue optando pela carne de frango. “Essa correlação é especialmente importante para famílias que tem como renda um ou dois salários-mínimos”, conclui.

Exportações

As exportações de carne de aves e suas miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas do Brasil renderam US$ 336,911 milhões em outubro (9 dias úteis), com média diária de US$ 37,434 milhões. A quantidade total exportada pelo país chegou a 187,963 mil toneladas, com média diária de 20,884 mil toneladas. O preço médio da tonelada ficou em US$ 1.792,40.

Em relação a outubro de 2022, houve queda de 5,2% no valor médio diário, avanço de 9,4% na quantidade média diária e recuo de 13,4% no preço médio. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior.

Preços internos

   Segundo levantamento de SAFRAS & Mercado, no atacado de São Paulo os preços dos cortes congelados de frango tiveram mudanças ao longo da semana. O preço do quilo do peito no atacado teve estabilidade de R$ 8,60, o quilo da coxa de R$ 7,10 e o quilo da asa aumentou de R$ 11,50 para R$ 11,60. Na distribuição, o preço do quilo do peito continuou em R$ 8,80, o quilo da coxa em R$ 7,30 e o quilo da asa subiu de R$ 11,70 para R$ 11,80.

   Nos cortes resfriados vendidos no atacado, o cenário da semana também apresentou alterações nas cotações. No atacado, o preço do quilo do peito seguiu em R$ 8,70, o quilo da coxa em R$ 7,20 e quilo da asa teve elevação de R$ 11,60 para R$ 11,70. Na distribuição, o preço do quilo do peito permaneceu em R$ 8,90, o quilo da coxa em R$ 7,40 e o quilo da asa progrediu de R$ 11,80 para R$ 11,90.

   O levantamento semanal realizado por SAFRAS & Mercado nas principais praças de comercialização do Brasil apontou que, em Minas Gerais, o quilo vivo registrou estabilidade de R$ 5,00 e, em São Paulo, de R$ 5,00.

   Na integração catarinense a cotação do frango ficou em R$ 4,40. Na integração do oeste do Paraná, a cotação continuou em R$ 4,50 e na integração do Rio Grande do Sul em R$ 4,80.

   No Mato Grosso do Sul, o preço do quilo vivo do frango se manteve em R$ 4,95, em Goiás em R$ 5,00 e no Distrito Federal em R$ 5,00.

   Em Pernambuco, o quilo vivo teve estabilidade de R$ 5,20, no Ceará de R$ 5,20 e, no Pará, de R$ 5,10.

Pedro Carneiro (pedro.carneiro@safras.com.br) / Agência SAFRAS

Copyright 2023 – Grupo CMA